06 Setembro 2018
Diferentes tecnologias podem ser aplicadas ao tratamento do leite para estender a validade do produto. Entenda algumas delas
Estabelecer diferenciações na indústria de lácteos pode ser desafiador, principalmente devido ao fato de que, em geral, consumidores baseiam suas escolhas avaliando fatores como preço e data de validade do produto. À medida que o cenário competitivo se torna mais intenso, os fabricantes de leite precisarão explorar novas tecnologias e inovações a fim de permanecerem relevantes.

Para algumas marcas, a escolha da tecnologia adequada para o tratamento do produto representa um enorme diferencial na busca por novos mercados. Primeiramente, o tratamento aumenta o tempo de prateleira do produto, tornando-o mais atraente para o consumidor. Em segundo plano, com a vida útil estendida os varejistas têm mais flexibilidade e tempo para manter a mercadoria em estoque, o que ajuda a reduzir perdas. 

Atualmente, há três tecnologias para aumentar o tempo de prateleira do leite em dias ou semanas. As soluções foram desenhadas para aumentar a segurança, qualidade e, em muitos casos, a disponibilidade do produto.

Ultrapasteurização

O método mais comumente utilizado para aumentar a vida útil do leite é o tratamento UHT, também conhecido como ultrapasteurização. Neste tipo de tratamento, o leite é aquecido em temperaturas de até 135 graus Celsius por 0,5 a 4,0 segundos. A exposição a altas temperaturas elimina microrganismos e prolonga a validade do alimento, sendo que em alguns lugares ela pode ser estendida de 20 a 90 dias, desde que o leite seja mantido em locais refrigerados.

O tratamento UHT torna possível elevar a qualidade do produto graças à brevidade do tratamento por aquecimento. De quebra, por estender a validade do produto, também possibilita que ele seja distribuído para novos mercados.

Microfiltração

No tratamento por microfiltração, o leite é primeiramente pasteurizado em temperaturas normais e então direcionado para um sistema de microfiltração que reduz a carga microbiológica do material. Por melhor preservar o sabor e integridade nutricional do produto, o tratamento é frequentemente utilizado em leites com alto valor agregado.

A microfiltração é uma técnica que envolve custos relativamente maiores, mas que pode ser especialmente vantajosa em alguns mercados, principalmente por aumentar o tempo de prateleira do produto em até 35 dias. No Reino Unido e no Canadá, por exemplo, a microfiltração é amplamente utilizada, agregando enorme valor ao produto, apesar do custo extra para o seu processamento.

Bactofugas

No tratamento com bactofugas, o produto pasteurizado segue para uma centrífuga. A partir do movimento de rotação em alta velocidade, é gerada a força centrífuga necessária para separar do leite algumas das bactérias presentes nele. Economicamente, esta é uma das soluções mais interessantes para a indústria láctea, sendo capaz de aumentar o tempo de prateleira do produto de três a oito dias.

Saiba mais sobre a experiência em processamento e embalagem de produtos lácteos da Tetra Pak e junte-se a nós no webinar “Extended Shelf Life: Adding value to pasteurized milk”, programado para 18 de setembro, terça-feira, às 14h00 (horário de Brasília). O conteúdo será apresentado em inglês. Registre-se aqui.
<< Voltar